Por Redação em 16/03/2020

  • O que está em jogo: o consumidor deve conhecer bem o seu perfil para decidir por optar ou não pela tarifa branca e obter economia de energia. Uma decisão errada pode fazer ele pagar mais caro. Pequenos consumidores passam a ter as mesmas possibilidades de médios e grandes de optar por uma nova forma de tarifação.

Válida desde janeiro, a tarifa branca de energia é uma opção para os consumidores que buscam economizar na conta de luz. Conforme a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o cidadão poderá verificar os horários em que a energia fica mais barata, podendo reduzir o valor da conta em até 20%, de acordo com matéria publicada no G1.

A tarifa branca está em vigor desde 2018, mas só no início do ano passou a valer para consumidores de baixa tensão, como residências e pequenos comércios. Sendo assim, casas, apartamentos, condomínios e pequenos estabelecimentos comerciais, como uma padaria ou uma loja, por exemplo, vão poder optar pela nova tarifação.

E como funciona? Nos horários de ponta (18h às 21h) e no intermediário (17h às 18h e 21h às 22), a energia consumida tem um valor mais caro do que fora da ponta. Nos feriados nacionais e nos fins de semana, o valor é considerado fora de ponta.

Vale a pena aderir? A Aneel recomenda que cada consumidor conheça seu próprio perfil e saiba em quais horários consome mais energia, optando pela tarifa branca somente se consumir mais energia nos horários fora de ponta. Uma loja de rua que funciona até às 18h, por exemplo, poderia obter economia.

A mudança para a tarifa branca, segundo a agência, compensa mais quanto maior for a diferença entre a tarifa convencional e a tarifa branca fora de ponta.

Horários da tarifa branca

De 0h às 17h: fora de ponta;

Das 17h às 18h: intermediário;

Das 18h às 21h: ponta;

Das 21h às 22h: intermediário;

Das 22h às 24h: fora de ponta.

Processo de adesão à tarifa branca requer alguns passos

Para aderir à tarifa branca, o consumidor precisa seguir o procedimento. 

  •  entrar em contato com a distribuidora local de energia e solicitar a mudança;
  • a empresa terá até 30 dias para instalar o novo medidor (sem custo adicional);
  • o consumidor poderá optar pelo retorno à tarifa convencional;
  • a empresa terá até 30 dias para voltar a cobrar a tarifa convencional;
  • a partir daí, haverá carência de 180 dias para o consumidor retornar à tarifa branca se quiser.