Por Redação em 09/03/2020

Os custos de energia solar fotovoltaica e eólica podem ser competitivas em relação às fontes tradicionais até o final desta década, avalia a Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA, na sigla em inglês). Os custos de energia solar fotovoltaica, por exemplo, caíram quase 90% nos últimos dez anos. Além disso, os preços das turbinas eólicas terrestres caíram pela metade nesse período.

Com essa redução de custos, as energias renováveis tendem a se tornar uma ferramenta vital para diminuir o déficit de acesso à energia. Por exemplo, as fontes renováveis distribuídas têm sido uma solução essencial para expandir o acesso à energia em locais nos quais não há acesso a ela. Os dados da IRENA mostram que 60% do novo acesso à eletricidade pode ser atingido por fontes renováveis na próxima década, com sistemas autônomos e distribuídos. E as duas tecnologias podem cobrir mais de um terço das necessidades globais de energia.

Custos da energia solar e eólica podem ajudar metas

A IRENA calcula que a fatia de energia renovável na matriz global precisa mais que dobrar até 2030 para avançar com a transição energética, alcançar metas de energia renovável e segurança climática. Sendo assim, a eletricidade renovável deve sair dos 26% da demanda elétrica global atual para 57% até o fim da década.

Para que esses objetivos sejam alcançados, será necessário mais que dobrar o investimento anual em energia renovável, atualmente na casa dos US$ 330 bilhões, para US$ 750 bilhões. A maior parte desse valor pode ser alcançado redirecionando parte dos investimentos de US$ 30 trilhões previstos em fontes fósseis até 2030.

O diretor-geral da IRENA, Francesco Lamera, afirmou que o sistema energético mundial está entrando num período de transformação sem paralelo na história. “Para garantir que isso aconteça, devemos atender urgentemente à necessidade de políticas facilitadoras mais fortes e a um aumento significativo do investimento nos próximos dez anos anos. As energias renováveis ​​são a chave do desenvolvimento sustentável e devem ser centrais para o planejamento energético e econômico em todo o mundo”, reforçou.

Os investimentos adicionais em fontes renováveis podem trazer economia de custos significativa, incluindo a minimização de perdas significativas causadas pelas mudanças climáticas. Essa economia pode atingir entre US$ 1,6 trilhão e US$ 3,7 trilhões anualmente até 2030. Esse valor é de três a sete vezes maior que os custos de investimento na transição energética.